Águas de Portugal

Destaques

  • Reduz em 67% o tempo gasto no processamento de salários
  • Reduz o processamento do consumo energético de 10 minutos para 1,1 segundos
  • Permite um desempenho superior através da estreita parceria entre a SAP e a SUSE

Produtos

O Grupo AdP – Águas de Portugal depende da sua infraestrutura de TI para uma série de operações fundamentais para o negócio, desde as folhas de pagamento aos RH. Com o desempenho da sua infraestrutura envelhecida a tornar-se problemático, a empresa decidiu que estava na altura de uma atualização. Ao fazer a migração das suas soluções SAP de HP-UX para SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications, o Grupo AdP beneficia da estreita parceira entre a SAP e a SUSE e conseguiu acelerar diversas tarefas, com uma redução de 67% no tempo mensal gasto no processamento de salários.

Visão geral

A AdP - Águas de Portugal, SGPS, S.A. é uma sociedade anónima de capitais exclusivamente públicos, gestora de participações sociais que, através das suas subsidiárias, tem como principal atividade a gestão do ciclo urbano da água, operando vários sistemas de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais.

Constituído em 1993, o Grupo AdP tem uma presença alargada em Portugal Continental, prestando serviços aos Municípios, que são simultaneamente acionistas das empresas gestoras dos sistemas multimunicipais (sistemas em “alta”), e servindo diretamente as populações através de sistemas municipais (sistemas em “baixa”) de abastecimento de água e de saneamento.

A principal atividade do Grupo AdP - Águas de Portugal é a gestão integrada do ciclo urbano da água, compreendendo todas as suas fases, desde a captação, o tratamento e a distribuição de água para consumo público, à recolha, transporte, tratamento e rejeição de águas residuais urbanas e industriais, incluindo a sua reciclagem e reutilização.

O desafio

Os sistemas de TI do Grupo AdP são fundamentais para o seu negócio de abastecimento de água e saneamento e deles dependem diversas tarefas, incluindo o processamento de salários e respetivos impostos, a gestão das relações com os fornecedores e as operações relacionadas com as folhas de pagamentos e recursos humanos. No entanto, a infraestrutura envelhecida da empresa revelava dificuldades em garantir o desempenho necessário para suportar as aplicações SAP fundamentais para o negócio.

António Esteves, administrador de sistemas SAP e TI do Grupo AdP, declara que: “O nosso hardware tinha 10 anos e uma capacidade de memória limitada (apenas 20 GB de RAM) o que estava a tornar as aplicações mais lentas. Além disso, o sistema operativo HP-UX era um software proprietário, por isso estávamos limitados em termos do que podíamos fazer com ele. Em concreto, preocupava-nos o facto de estarmos a perder algumas das excelentes soluções open source atualmente disponíveis.

“Tendo em conta a necessidade de utilizar hardware aprovado, a solução era também bastante dispendiosa. Por último, queríamos usufruir da nova tecnologia de base de dados in-memory para acelerar as operações.”

Com as tarefas a demorarem cada vez mais tempo a ficarem concluídas, o Grupo AdP sabia que estava na altura de atualizar a sua infraestrutura de TI para poder acompanhar o ritmo do negócio.

“A SUSE e a SAP ajudaram-nos a transformar a nossa estrutura de TI. Temos, hoje, uma arquitetura de elevado desempenho, económica e flexível que acompanha o nosso negócio.”

Solução SUSE

O Grupo AdP decidiu investir em novo hardware e mudar para um sistema operativo flexível, económico e open source. Assim, fez a migração das suas aplicações SAP para o SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications recorrendo a servidores Huawei e ficando a gestão do projeto a cargo da Portugal Telecom. Além disso, o Grupo AdP fez a transição da sua anterior base de dados Oracle para SAP HANA, um sistema de gestão de bases de dados in-memory, relacional e orientado por colunas.

“A escolha do SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications foi fácil”, diz António Esteves. “A SAP e a SUSE têm uma parceira estreita, por isso o produto foi desenvolvido à medida para suportar soluções SAP, algo que não acontecia com a nossa anterior plataforma, e o SUSE Linux Enterprise Server tem uma excelente reputação enquanto distribuidor líder de Linux para organizações empresariais que utilizam SAP.”

O SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications encontra-se otimizado a pensar no desempenho e configurado para proporcionar o melhor suporte possível para aplicações SAP, sendo regularmente atualizado com novas otimizações à medida que a SAP lança novas versões dos seus produtos.

António Esteves declara que: “Enquanto plataforma open source, o SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications garante capacidade de gestão, economia de custos e flexibilidade: temos total liberdade para tirar partido das tecnologias emergentes.

“O desempenho é também excecional e proporciona a solução perfeita para as nossas aplicações fundamentais de TI. Temos monitorizado a nova solução desde a sua implementação e desde então não surgiram problemas. Estamos muito satisfeitos com a sua estabilidade e fiabilidade.”

No total, a migração para o novo ambiente de TI do Grupo AdP demorou aproximadamente três meses.

António Esteves afirma que: “Não houve grandes necessidades de formação, pois a nossa equipa já estava habituada à nossa anterior plataforma Unix, que partilha muitas funcionalidades com o Linux e, por isso, rapidamente estávamos ambientados com o novo SO.”

Os resultados

Com o SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications a suportar o seu ambiente SAP, a infraestrutura de TI do Grupo AdP está muito melhor preparada para executar as tarefas fundamentais para o negócio.

“Graças à sólida parceria entre a SUSE e a SAP, o SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications proporciona a plataforma perfeita para o nosso contexto SAP HANA garantindo um excelente desempenho. Sendo a base de dados incorporada na memória do SAP HANA e não acedida a partir do disco, todo o ambiente é muito mais rápido do que a nossa anterior solução.

“Por exemplo, o processamento mensal de salários passou de 1 hora para 20 minutos, o que corresponde a uma redução de 67%. Reduzimos também drasticamente o tempo despendido nas operações de consumo energético de todo o grupo, de 10 minutos para 1,1 segundos. A maior rapidez destas operações permite que a nossa equipa de TI centre as suas atenções noutras tarefas e garante que o negócio continua a funcionar sem problemas.”

Além disso, o SAP HANA não precisa de índices e utiliza algoritmos de compressão eficientes o que permite poupanças em termos de armazenamento.

“Ao fazer a migração de Oracle para SAP HANA, as nossas bases de dados de produção reduziram-se de 1 TB para 274 GB de memória, e o nosso armazenamento de dados passou de 500 GB para 160 GB”, afirmou António Esteves.

“A SUSE e a SAP ajudaram-nos a transformar a nossa estrutura de TI. Temos, hoje, uma arquitetura de elevado desempenho, económica e flexível que acompanha o nosso negócio.”