Sello Rojo

Destaques

  • Até 80% de economia nos custos de licenciamento e manutenção
  • Atualizações do sistema operacional 30% mais rápidas
  • Zero interrupções em janelas de manutenção não planejadas
  • Maior fiabilidade da informação

Produtos

Watch our success story

Para expandir os negócios, maximizar os processos de gestão empresarial e otimizar os investimentos em tecnologia, a Sello Rojo migrou do SAP ECC 6 (em execução num sistema operacional proprietário) para SAP S/4HANA (em execução no SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications). Em pouco tempo, a Sello Rojo registrou ao mesmo tempo uma economia em custos de licenciamento e manutenção e um aumento na eficiência e segurança de todo o seu ambiente de TI.

Visão geral

Adorada por gerações, a Sello Rojo é uma empresa 100% mexicana dedicada à produção e comercialização de leite, derivados e outros alimentos. Com duas fábricas em funcionamento e 50 centros de distribuição, a empresa emprega mais de 4 mil pessoas e está empenhada em desenvolver produtos de alta qualidade com foco em atendimento de qualidade e satisfação do cliente.

O desafio

Em 2017, a Sello Rojo identificou oportunidades para melhorar as operações comerciais, simplificando os processos e otimizando os investimentos em TI. Eles gerenciavam suas finanças com o SAP ECC 6, que era executado em um sistema operacional proprietário com servidores Hewlett Packard Enterprise (HPE) ProLiant no local. Após análise, a Sello Rojo descobriu que manter o seu ambiente SAP ECC 6 exigiria investimentos de alto custo em reparos e consideráveis períodos de inatividade para realizar atualizações. Por isso, decidiram migrar seu ambiente para SAP S/4HANA como uma alternativa mais confiável e económica.

Para migrar funções de SAP ECC 6 para SAP S/4HANA, a Sello Rojo teria que investir em hardware, além de atualizar o seu sistema operacional nos novos servidores para garantir que o equipamento funcione com a eficiência ideal.

No entanto, a atualização do sistema operacional fechado da companhia exigiria taxas de licenciamento elevadas e a necessidade de novos orçamentos sempre que o fabricante apresente atualizações de software.

Para ajudar a abordar estes desafios, a Sello Rojo criou uma parceria com a CITEI, uma empresa de consultoria tecnológica sediada fora do México, e com a HPE para encontrar uma solução.

"Com a CITEI e a HPE, parceiros de projeto para SAP S/4HANA, aprendemos que um sistema baseado em Linux seria muito mais eficiente", afirma Verónica Ruiz, chefe de aplicações sênior da Sello Rojo. "Foi então que nos informaram que a SUSE tem um sistema operacional Linux com certificado SAP."

"A parceria da SUSE com a CITEI e a HPE além de nos ajudar a compreender os benefícios que a solução SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications poderia oferecer, nos mostrou também que ela seria muito mais fácil de utilizar."

Solução SUSE

Ruiz relembra que, inicialmente, a ideia de substituir o seu já comprovado sistema operacional assustou a equipe de TI da Sello Rojo. Essa seria a sua primeira incursão na utilização de um sistema Linux. "A parceria da SUSE com a CITEI e a HPE além de nos ajudar a compreender os benefícios que a solução SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications poderia oferecer, nos mostrou também que ela seria muito mais fácil de utilizar", diz Ruiz.

No final, a equipe de Ruiz decidiu avançar porque as soluções seriam fáceis de implementar e porque o SUSE Linux Enterprise Live Patching os ajudaria a economizar um tempo significativo na instalação de atualizações.

"Todos os envolvidos, HPE, CITEI, SUSE e Sello Rojo, operaram de forma coordenada. Trabalhamos todos como uma única equipe. Nós funcionávamos como um único projeto", diz Ruiz. "Em apenas dois meses, nossos sistemas antigos foram substituídos por três servidores Sinergy e seis servidores virtuais VMware, todos executando SAP S/4HANA no SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications."

A mudança cultural ocorreu de forma bastante suave, uma vez que a SUSE forneceu treinamentos para SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications e para o SUSE Linux Enterprise Live Patching. “A transferência de conhecimentos ocorreu naturalmente, dado que configuramos e implementamos tudo em conjunto", afirma.

Os resultados

Ao substituir o sistema operacional pelo SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications, a Sello Rojo alcançou uma economia de até 80% em custos de licenciamento e manutenção de software. “Já houve uma redução significativa dos custos devido à diminuição da manutenção necessária, mas estamos economizando ainda mais por já não precisarmos pagar taxas de licença de usuário", afirma Ruiz.

Mas as vantagens não param na economia. De acordo com Ruiz, o SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications é mais seguro e eficiente do que o sistema anterior. Ela explica: "As atualizações também trazem mais eficácia – não temos tantos reparos como antes e o SUSE Linux Enterprise Live Patching torna as correções muito mais fáceis."

Do ponto de vista comercial, o SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications permite que a Sello Rojo aproveite ao máximo as capacidades de análise de dados oferecidas pelo SAP S/4HANA. "Por outro lado, ele nos prepara para os projetos de grandes volumes de dados previstos pela Sello Rojo, para a expansão a novos comércios e novas cidades", revela Ruiz.

Além disso, a equipe de Ruiz começa a explorar a forma como o SUSE Linux Enterprise pode oferecer suporte a outros projetos, tais como desenvolvimento Java e até mesmo uma migração de ambiente de trabalho.